contador
contador gratuito de visitas
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de livrearbitrio em seu site de social bookmarking

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 63 em Sex 29 Mar 2013 - 11:42
Os membros mais ativos da semana

Os membros mais ativos do mês

Top dos mais postadores
Admin (95)
 
marcos a cavalcanti (89)
 
JUVENCIO (79)
 
Montenegro (62)
 
Gilmor (62)
 
Mariana (43)
 
PINHO Cardoso (30)
 
BALTAZAR (30)
 
Carolzinha (23)
 
DaSilva (18)
 

contador
contador gratuito de visitas

Contas judiciais saqueadas em mais de R$ 5 milhões

Ir em baixo

Contas judiciais saqueadas em mais de R$ 5 milhões

Mensagem por BALTAZAR em Seg 12 Dez 2011 - 14:04

Contas judiciais saqueadas em mais de R$ 5 milhões

(12.12.11)

A Polícia Federal investiga um furto continuado de pelo menos R$ 5 milhões - mas que pode chegar a R$ 7 milhões - por uma servidora da 2ª Vara do Trabalho, do TRT da 10ª Região, em Brasília.

A fraude foi descoberta por acaso no dia 29 de novembro, depois de uma advogada perceber uma movimentação atípica em um processo que ela acompanha. Ela estranhou que um depósito judicial à disposição da 1ª Vara do Trabalho de Brasília fora movimentado por meio de um alvará expedido pela 2ª Vara.

Imediatamente, a profissional da Advocacia questionou os juízes de ambas as varas e a Corregedoria do TRT-10. Foi a descoberta da "ponta do icerberg".

As apurações preliminares mostraram que a funcionária transferia o dinheiro de depósitos judiciais para a sua conta bancária, a do companheiro e a de familiares e amigos. As informações são do jornal Correio Braziliense, em matéria assinada pela jornalista Alana Rizzo.

Os dois juízes que atuam na Vara pediram imediatamente o bloqueio dos bens e das contas bancárias da funcionária, do companheiro e de outros envolvidos na fraude. Pelo menos dez carros já foram localizados em nome do casal. Uma busca está sendo feita em cartórios de registro de imóveis, para impedir que qualquer operação de venda seja feita.

O presidente do TRT, desembargador Ricardo Alencar Machado, repassou na sexta-feira (9) as informações levantadas pela Corregedoria do tribunal à delegada da Polícia Federal Fernanda Oliveira, responsável pelo inquérito.

Segundo o relatório, a servidora, que era cedida ao TRT desde 2002 pela prefeitura de Luziânia (GO), usou em benefício próprio a autorização que ela tinha dos juízes da 2ª Vara para administrar os processos.

A Polícia Federal e o TRT ainda aguardam informações do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, responsáveis pelas liberações dos valores que estavam depositados.

Há suspeita inicial do envolvimento de outras pessoas no esquema, que permitiram o pagamento ao companheiro da servidora desempenhando papéis diferentes nos processos. Ora ele aparecia como advogado, ora como autor da ação, ora como beneficiário.

Os documentos fraudados não foram detectados por nenhum funcionários das agências do BB e da CEF que funcionam no TRT.

Indignação e vergonha

“Estamos indignados, envergonhados com o que aconteceu. Não é essa a nossa tradição como instituição”, disse ao Correio Braziliense o presidente do TRT-10, Ricardo Alencar Machado.

Segundo ele, todas as medidas foram tomadas o mais rapidamente possível para evitar um dano ainda maior.

A funcionária foi afastada e responde a um processo administrativo disciplinar. O diretor da 2ª Vara do TRT também foi afastado como medida preventiva. “Ela parecia ter a certeza da impunidade. Traiu a confiança dos servidores públicos e do tribunal”, acrescentou o presidente do TRT.

O presidente não descartou a hipótese do envolvimento de outros funcionários. Afirmou que designou uma equipe externa à unidade para trabalhar na apuração do caso.

Como não houve flagrante, a servidora não foi presa. Aguarda em casa.

Mais detalhes

(Da redação do Espaço Vital)

* Uma fonte que teve acesso aos primeiros lances do inquérito disse ao Espaço Vital que a servidora inicialmente privilegiou processos antigos em que advogados e os próprios beneficiários aparentemente abandonaram as causas. Mas, com o sucesso da fraude, ela passou a atuar também em processos mais recentes.

* Como a servidora era a responsável pelo balcão da vara, conseguia driblar a busca por informações por parte dos advogados criando sempre justificativas para a demora na liberação dos depósitos.

* A funcionária, 45 de idade, era tida como exemplar e dedicada no trabalho. Segundo colegas, era a primeira a chegar e a última a ir embora da vara. No entanto, a melhora no padrão de vida chamou a atenção - alguns chegaram a comentar isso com ela. A resposta da servidora era de que "tinha recebido uma herança milionária".

http://www.espacovital.com.br/noticia-26351-contas-judiciais-saqueadas-em-mais-r-5-milhoes

BALTAZAR

Mensagens : 30
Reputação : 1
Data de inscrição : 11/12/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum