contador
contador gratuito de visitas
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Social bookmarking

Social bookmarking digg  Social bookmarking delicious  Social bookmarking reddit  Social bookmarking stumbleupon  Social bookmarking slashdot  Social bookmarking yahoo  Social bookmarking google  Social bookmarking blogmarks  Social bookmarking live      

Conservar e compartilhar o endereço de livrearbitrio em seu site de social bookmarking

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 63 em Sex 29 Mar 2013 - 11:42
Os membros mais ativos da semana

Os membros mais ativos do mês

Top dos mais postadores
Admin (95)
 
marcos a cavalcanti (89)
 
JUVENCIO (79)
 
Montenegro (62)
 
Gilmor (62)
 
Mariana (43)
 
PINHO Cardoso (30)
 
BALTAZAR (30)
 
Carolzinha (23)
 
DaSilva (18)
 

contador
contador gratuito de visitas

A sociedade brasileira está alienada?

Ir em baixo

A sociedade brasileira está alienada?

Mensagem por marcos a cavalcanti em Qua 25 Abr 2012 - 8:50

Está escrito na Constituição Federal que a administração pública deve se reger por cinco grandes princípios: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Mas não é necessário conhecer a Constituição para que percebamos desde logo que se trata de premissas referenciais do senso comum – aquela que o cidadão ainda que intuitivamente, entende como essenciais na relação com o Estado e com seus representantes.
Com toda certeza, os exemplos influenciam na conduta dos brasileiros, tanto para o que é positivo ou negativo e se a segunda opção prevalecer por escolha própria, sua eventual esperteza não deixa de ser considerada uma “alienação”.
Se perguntado: você se julga um alienado? A resposta será não, mas dá para duvidar?
Para começar, para comprovar a alienação de muitos em nossa sociedade, sendo esta social, política e cultural que ocorre quando o sujeito vive alheio na maioria das vezes por indução cultural, aos problemas inerentes á própria sociedade, á política e aos aspectos culturais impostos pelos manipuladores ou mal intencionados.
Alguns exemplos:
O sujeito não está nem ai, diante da violência existente em seu bairro, exceto quando ele próprio é vítima da mesma, ou:
Está se lixando se a passagem do ônibus é cara e eles vivem superlotados no horário de pico, exceto quando faz uso do mesmo, bem como:
Se a corrupção está presente em todos os estados, exceto nutrir comentários em quinze minutos com seus amigos e ainda:
Que importância há no atendimento do SUS ou os desrespeitos dos planos de saúde, a não se quando dependa deles, bem como:
Que interesse há em discutir as filas em bancos, repartições públicas entre outros, exceto quando precisa dos mesmos.
Que valor existe em conversar e reclamar com seus vizinhos, das ruas esburacadas, da inexistência de calçadas, do lixo em terrenos baldios, da falta da coleta de lixo, enfim uma série de problemas comum á comunidade, mas ficar esperando que os outros façam contato com a prefeitura e por aí afora.
O que muitos aderem, são os famosos jeitinhos, onde o que menos importa, são os direitos alheios e não raro o que vale para muitos são os resultados do seu time de futebol nos campeonatos, os últimos capítulos de uma novela, os reality shows que mostram a sensualidade das mulheres, o churrasco com amigos num final de semana, a confraternização diária em algum barzinho da cidade e até:
A alienação religiosa, vai ao culto ou á missa aos domingos apenas para manter as aparências e outros provavelmente só estão preocupados com seu belo destino após a morte que só contempla a própria segregação social.
O fato é que o ser humano, exceto raras exceções, em princípio só pensa em seus interesses, então, tudo isto, vai retundar no reconhecimento que o brasileiro quando não é conformista é também, individualista e assim desinteressado nas causas coletivas, especialmente nas mobilizações, onde a maioria demonstra pouco ou nenhum interesse, fato este comprovado no último movimento popular chamado o DIA DO BASTA, acontecido no Brasil no dia 21 p.p., cuja expectativa de participantes ficou aquém do esperado, como outras que já aconteceram anteriormente.
Há de se aceitar, cujo objetivo era reagir á conhecida imunidade parlamentar, á corrupção e tudo mais, entretanto, tal mobilização ou outra, jamais irá atingir os objetivos, enquanto forem realizadas em feriados ou finais de semana, mesmo porque, se o objetivo é ou era fazer mudanças no comportamento de nossos políticos e autoridades é exatamente nestes dias que eles estão ausentes nas casas legislativas, prefeituras e nas de governo.
Quem sabe, a não participação neste último movimento, seja o reflexo daquele outro, da Ficha Limpa, que até hoje está em discussão e ainda não se chegou á nenhuma conclusão, mesmo considerando o interesse de milhões de brasileiros?
É preciso concordar que toda e qualquer generalização seja perigosa e até inadequada, mas infelizmente, a boa parte do povo brasileiro sofre apático a todas as consequências de um sistema econômico e social injusto, mas o comportamento de uma maioria é interessado nos resultados imediatos de suas necessidades, cujos valores tem sido calcados no prazer de usar bens e serviços, acima mencionados. e mais, trocou-se a importância das causas, quase que exclusivamente para alimentar a própria vaidade, fato que comprova a própria alienação.
Não importa a classe social a maioria esta submetida à lógica do capital globalizado, do pensamento único e uniforme neste mundo artificial criado pela mídia capitalista alienante, onde o consumo não depende mais da decisão consciente de cada indivíduo, baseada em suas necessidades e seus gostos, mas torna-se fruto de necessidades artificialmente estimuladas e mais: trocou-se a importância do SER pelo TER, quase que exclusivamente pelos modismos hoje existentes, fato que comprova a própria alienação.
Por outro lado, no aspecto espiritual, não se pode desconfiar ou desmerecer a fé individual, entretanto, se deixar alienar por ditames de denominações religiosas, somente se admite por parte de pessoas com pouca educação ou alcance cultural e é profundamente lastimável quando acontece com os demais esclarecidos, portanto, são alienados de carteirinha ou podem estar quem sabe, participando das mesmas maracutais religiosas?
Fica claro que o papel dos meios de comunicação influenciam os comportamentos e podem se transformar em alienação do brasileiro que se deixam dominar ou aceitam que devem agir, pensar, se vestir e gostar das mesmas coisas, assim é mais fácil centrar seus objetivos e submeter esse grupo aos interesses dos dominadores. É uma dominação ideológica, que dá a impressão de democratização social.
A alienação torna o poder tranquilo.
A pessoa alienada submete-se cegamente sem haver um questionamento.
O alienado vive sem projetos, sem ideais, a não ser cultuar sua autoimagem e buscar satisfação no aqui e agora.
Mais as evidências provam ao contrário, considerando as situações acima e ainda:
A alienação se configura com os desmandos da elite sócio política, que continua intocada e com seus interesses escusos, onde a manutenção do povo, sob um controle cultural, intelectual e ideológico, permite entre outras coisas que políticos mal-intencionados continuem fazendo o que bem querem em todo País, mais não só eles, pois, empresários expandem seus empreendimentos sobre espaços naturais, tanto que, os 10% mais ricos continuem abocanhando cerca de metade das riquezas brasileiras, bem como, pecuaristas e ruralistas permaneçam lucrando e extorquindo o restante da sociedade e que as oligarquias detenham perpetuamente o tão desejado poder político e até os bispos de igrejas mal-intencionadas continuem acumulando fortunas com dízimos dos fiéis enganados.
Tudo isso é muito benéfico para a manutenção do estado de riqueza e opulência dessas gentes, que jamais quer abdicar de seu poder, então, esta elite socioeconômica brasileira faz de tudo para não perder sua hegemonia perante o povo.
Não se pode negar, entretanto, que existem pessoas ricas que estão interessadas em promover o bem comum, que abraçam e até financiam causas coletivas, tal como muitos outros brasileiros conscientes da situação do povo, de suas carências e mazelas e até podemos afirmar, a existência de bons políticos, interessados nas mesmas causas, entretanto, são minorias, que não recebem o devido espaço nos meios de comunicação, a não ser quando interessa aos poderosos acima citados, desfilar suas próprias vaidades e hipocrisias.
Não resta a menor dúvida que os meios de comunicação de massa tradicionais, influenciam toda sociedade, independente da questão econômica ou cultural, pelo que também já foi exposto anteriormente e principalmente porque a manipulação se dá normalmente da seguinte forma:
A mídia mais acessada pelo brasileiro, sem dúvida alguma é a televisão e seus donos tem muita influência e possuem aliados não só no meio político, mais nos demais setores da vida nacional, assim, são integrantes da turma desinteressada em qualquer mudança social.
Há exemplo fáceis de entender:
Quando centenas de pessoas pretendam se mobilizar em torno de uma causa coletiva, então, os poderosos envolvidos na questão e os donos do poder, as elites, pedem ajuda à cúpula de certa emissora de TV, administrada por aliados com o mesmo interesse.
A equipe de jornalismo, vai ao local, registra o movimento e após, ocorre uma edição, uma decisão sobre os aspectos que irão ao ar e aqueles que serão omitidos.
Então o resultado no telejornal do dia ou da noite é retratado pela emissora num tom crítico, aparece e nem sempre é percebido pelo brasileiro, todo um esquema animado do que aconteceu, os políticos ou poderosos são entrevistados, com direito á ampla palavra, porém, os participantes são retratados como vilões ou só têm direito ( quanto tem), praticamente à veiculação de uma ou duas frases.
Ora, o efeito negativo desta estratégia é que os manifestantes são sumariamente desqualificados, pois a reportagem é manipulada, mostrando tudo de bom e respeita o lado dos poderosos e ressaltando tudo de ruim e menospreza o direito dos manifestantes, transgredindo qualquer noção de imparcialidade jornalística.
O alvo da manipulação é quase sempre envolvido nas questões sociais e políticas, mas tratada desta forma, quem vai para rua protestar? Também, raramente são vistos como heróis, mas sim como o vilões que interrompeu o funcionamento da cidade, bem como, baderneiros que só querem o pretexto da causa ativista para destruir o patrimônio público ou como arruaceiros que querem brigar com a polícia, até porque, existe gente do mal, mas é minoria, mas a mídia termina generalizando.
Enfim, quem luta contra a ordem opressora é exibido como gente desqualificada e isso contamina o público que vê os telejornais manipulados ou lê os jornais e revistas de notícias maquiadas da qual eles fazem parte.
Outras vezes as intenções funcionam ao contrário, lança-se á sociedade algo de interesse dela, certamente extensamente divulgadas pela mídia que motiva as pessoas irem ás ruas, daí obviamente são tratados de outra forma diferente daquela acima, mas a tática desta vez é que seja escondido os principais propósitos, não outros, senão de que os poderosos possam se beneficiar, portanto, ambos os tipos de manipulação, são na verdade com interesse de alienar o próprio brasileiro.
Ora se consideramos que a maior parte dos brasileiros assistem e leem tais mídias, poucos se interessam em acessar ou ler as demais existentes que não entram nestas jogadas e podemos até dizer que não é por falta é tempo, pois, possivelmente é por puro comodismo, preferem aquelas que têm maior audiência.
Já mencionei anteriormente e volta á confirmar, o brasileiro está vivendo na mesma "alienação" quando se trata de escolhas partidárias?
O que se pode e deve fazer contra o gosto de alguns pela situação destacada é continuar esclarecendo as pessoas, propagando a conscientização, de modo que numa época mais próxima possível haja a transformação da vontade popular de suplantar os interesses dominantes em práticas de cidadania e de consciência ativa.
O brasileiro precisa de uma vez por todas perceber que suas ações certamente terão melhores resultados se utilizar da própria internet para seu esclarecimento e participar das redes sociais, onde instituições da sociedade civil estão operando, que ele pode usar parte do seu tempo, acessando sites e blogs, sem abrir mão dos entretenimentos que a própria rede disponibiliza, exceto é claro, se quiser continuar “alienado” nas situações aqui expostas.
É sabido que diante dos fatos não há argumentos, então, a pergunta que fica é:
Em quais das circunstâncias você pode se tornar um alienado?

marcos a cavalcanti

Mensagens : 89
Reputação : 8
Data de inscrição : 27/03/2012
Idade : 72
Localização : Curitiba/Pr

http://marcaocapivari@ymail.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A sociedade brasileira está alienada?

Mensagem por Admin em Qua 25 Abr 2012 - 16:34

Existe todo um sistema criado com a clara intenção de alienar as pessoas.

Esse fenomeno não é prerrogativa dos brasileiros, as populações são manipuladas em todos os cantos do globo.

E por falar em globo, veja essa pérola auto-explicativa:



avatar
Admin
Admin
Admin

Mensagens : 95
Reputação : 31
Data de inscrição : 08/12/2011
Idade : 118

http://livrearbitrio.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum